Carta Pedagógica Comissão Nacional

Dia 2 de fevereiro do 2012 ocorreu a primeira reunião do ano da Comissão Nacional. E desta encaminhou-se a prioridade de enviarmos cartas pedagógicas para adiantarmos a comunicação com toda a rede.

 

Brasília, 2 de fevereiro de 2012.

   Neste dia chuvoso de Brasília a Comissão Nacional se reuniu em peso em uma sala da Imprensa Nacional. Os 12 representantes compareceram, sem perdas de voos ou dificuldades em suas agendas. Começamos o ano muito bem!Todas as regiões estavam dispostas a socializar os acontecimentos de final e começo de ano

   O Norte esteve reunido de 27 à 29 de janeiro em Belém/PA. Realizaram avaliações, compartilharam as agendas, aprofundaram o texto base e escreveram uma carta de reivindicações em relação a gestão compartilhada. A Comissão Nacional da região, juntamente com a Vera do Talher Nacional se organizou para acompanhar in loco os estados. A região considerou os eixos temáticos algo novo, irão se aprofundar mais neste assunto, mas conseguiram definir bandeiras de lutas: Direitos humanos, Economia Solidária e Educação Popular. Avelino Ganzer da Secretaria Geral da Presidência esteve presente para contribuir com a análise de conjuntura e para partilhar a criação de uma Casa de Governo em Altamira/PA que irá acompanhar os conflitos gerados pela Usina de Belo Monte. ” Precisamos refletir mais sobre este assunto!”

   O Sul realizou o seu Encontro Macro nos dia 19 à 22 de janeiro na Lapa/PR. A região está dialogando a possibilidade de se articular através de eixos temáticos, assunto que está se desenrolando na região. Pensar eixos para uma ação nacional foi bastante debatido e pautado a necessidade de se refletir mais. Os estadostambém estão em um momento de se aprofundarem mais no papel da Comissão Nacional, foi avaliado que o espaço está subaproveitado pela região.

   A Coordenação Centro-Oeste estará reunida agora em seguida, dia 05 de fevereiro aqui em Brasília. A COCO irá organizar o Encontro Macro que acontece no começo de março. Goiás e o Distrito Federal estão se organizando e avançando na discussão e na integração das ações e trabalhos de base junto com os grupos do entorno (regiões pertencentes a Goiás e que possuem uma grande situação de vulnerabilidade por conta da política habitacional do Distrito Federal).

   O Nordeste também já realizou o seu Encontro Macro deste ano. De 18 à 22 de janeiro este ocorreu na cidade de Pedro II no Piauí. Com o tema: “Da força do povo brota um Nordeste novo”. Aprofundaram na discussão do texto base, o que é tático e estratégico e puderam dialogar sobre os eixos de lutas. Mas continuarão refletindo sobre a discussão. A região esteve presente nas mobilizações a favor da continuação da parceria entre a Articulação do Semiárido (ASA) com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome MDS, 15 mil pessoas em Petrolina (PE), no final de dezembro passado. Uma vitória para o Semiárido que continuará com a perspectiva da busca pela garantia de seus direitos humanos, de água para beber e produzir alimentos para as famílias do meio rural.

   O Sudeste esteve reunido em Ubú no Espírito Santo dos dias 24 à 26 de janeiro. A região deu uma primeira olhada no texto base, compreendeu que é necessário entender e aprofundar eixos de lutas para garantir ações concretas. O debate sobre Comissão Nacional está bem amadurecido e estão elaborando uma nova metodologia de representação da região neste espaço, que garanta que os 4 estados contribuam e o fortaleça durante todo o próximo Plano Nacional de Formação.

   As agendas de reuniões e encontros das macro regiões foram socializadas para os representantes da CN poderem se organizar e estarem presentes. Entendendo a importância da participação na reunião de preparação do encontro e em seguida esteja inserido em alguma equipe para contribuir com o momento de formação e organização da região.

   As equipes nacionais puderam também socializar as reuniões e os encaminhamentos. A equipe Pedagógica/Comunicação se reuniu em dezembro 2011 e em janeiro 2012 para acertar questões pendentes da produção dos vídeos formativos sobre a Metodologia da Educação Popular e Projeto Popular para o Brasil. Existe o desafio de fazer o melhor possível na construção destes vídeos junto com os Movimentos Sociais.

   A equipe de Gestão reuniu-se nos dias 26 e 27 de janeiro em Porto Alegre. O que facilitou em muito a reunião da CN. Pois na maioria das vezes nos reunimos com milhares de dúvidas que só são esclarecidas posteriormente. Logo mais sairá um informativo mais detalhado para esclarecimentos nacionais. Esta reunião por ter acontecido em meio ao Fórum Social Temático possibilitou aos companheiros(as) da rede participarem de uma reunião na hora do almoço com o Conselho Latino Americano de Educação Popular. Uma articulação política de grande importância para a rede.

   A equipe de Articulação Política não conseguiu se reunir desde o Seminário com os Movimentos Sociais. Existe algumas demandas deste que precisam ser revistas e encaminhadas. É necessário divulgar uma síntese do relatório para os educadores(as) da Rede e para os Movimentos Sociais que estiveram presentes para podermos dar continuidade as ações.

   Sobre a representação da RECID em espaços Nacionais gerou um longo e extenso diálogo. Avaliou-se a falta de comunicação da CN com os educares/as, a comissão é um espaço deliberativo desde que minimamente consulte todas as macroregiões. Reconheceu-se que a pressa e a ferramenta da internet não foram a melhor maneira de tomar uma decisão importante com relação a representação no CONSEA (Conselho Nacional de Segurança Alimentar). Este Conselho que é tão importante e faz parte da Natureza da Rede, e que teve um papel de grande importância para a conquista da ASA no nordeste. Na representação passada houve grandes dificuldades por parte do coletivo Nacional de acompanhar as educadoras que estiveram contribuindo com este espaço em nome da Recid. E elas também assumiram a dificuldade de socialização do processo. Mas neste novo momento Paulo Matoso (Centro-Oeste), como titular e Sandra Sangaletti (Sul), como suplente, farão parte deste Conselho, compreendendo os seus papéis de representantes nacionais da rede e de comunicadores das ações que estarão desenvolvendo.

   Para o Centro  de Formação em Economia Solidária o CFES Nacional, quem estará representando a rede será o Faustino (Norte), que terá muito para contribuir e aprender com este espaço. Para concluir entende-se o papel do educadores/as representantes nacionais da rede de contribuírem com os espaços, conselhos, fóruns nacionais que são estratégicos para as nossas ações e que eles pautem estes espaços em nome da Rede Educação Cidadã. Em contrapartida a rede precisa acompanhar e estar informada sobre as discussões e encaminhamentos que lá acontecem.

   É por entender o papel da CN que iremos priorizar escrever cartas pedagógicas após nossos encontros dialogando sobre os processos, quais foram os debates travados, além dos encaminhamentos. E sintam-se a vontade em responderem as cartas!

   Após o término da reunião na Imprensa Nacional partimos para a casa de encontros da Cáritas, para continuar as nossas conversas e nos prepararmos mais para a reunião do Coletivo Nacional.

   Desejamos a todos nós um ótimo ano de formações e lutas. E que no nosso 11o Encontro Nacional cumpra com os seus objetivos de avançarmos em torno de nossas políticas, da aprovação do PNF e em lutas concretas.

 

Comissão Nacional

Francy, Carmelita e Faustino (norte), Dorival, Débora e Rafaela (nordeste), Calimério e Paulo matoso (centro-oeste), Luana e Cris (sudeste) e Luzia e Sandra (Sul)

Um comentário em “Carta Pedagógica Comissão Nacional

  1. Essa idéia de Cartas Pedagógicas após encontros foi D+! Fica legal de ler e repassa de forma resumida o que se passou. Já era sem tempo. Parabéns aos escrevinhadores e que tenhamos mais correspondentes por este Brasil afora.
    INté das Minas Gerais,
    Sãozinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 6 =