Com apoio do Talher/PA, associação comprou equipamento que reduz os custos da produção de mel

ImageA cidadania plena para cerca de 30 produtores de mel no município de Ourém-PA, distante 182 km da capital, está cada vez mais próxima graças à Associação dos Apicultores e Apicultoras do Município, organização que, a exemplo das próprias abelhas, está melhorando a produção e oferecendo mais condições aos trabalhadores.

Antes, como relata a presidente da associação, Maria Lúcia Reis Cunha, 42, os apicultores trabalhavam de maneira desordenada. Para mudar a realidade, foi realizada uma mobilização para convencer os produtores de mel sobre a importância de estarem organizados numa associação. Os apicultores que aderiram foram capacitados em oficinas sobre empreendorismo, apicultura básica e avançada e técnicas de manejo realizadas em parceria com o Sebrae/PA.   

ImageO desafio maior da associação é deixar de vender para os atravessadores e vender direto aos consumidores, o que representaria um lucro a mais para os associados. O grupo ainda não tem a “Casa do Mel”, o que obriga os apicultores a processarem o mel em suas próprias casas. Os associados também encontram dificuldades para comercializar as cerca de 18 toneladas de mel que produzem por ano. Como ainda não contam com a vigilância sanitária, também não podem imprimir o rótulo para facilitar a venda.

A parceria com o Talher/PA permitiu a associação comprar o equipamento para produção da cera alveolada, ação que diminuiu os custos de produção de mel. A associação, além da produção de mel, integra o Talher no município e atua em parceria com outras organizações na denúncia de irregularidades no Bolsa Família. Também trabalha na capacitação de novos apicultores. Um grupo de 16 jovens está sendo capacitado num curso de apicultura básica. Além das aulas teóricas, o grupo aprende na prática, em visita a criação de abelhas da região, como se dá o manejo.

Elenilda Castro Magalhães, 36 anos, é uma das associadas que extrai do mel o sustento para a sua família. Depois de aprender as noções básicas com o próprio marido, hoje é ela que administra e cuida das suas caixas. Ela produz cerca de 34 litros de mel por mês e conhece como ninguém o ciclo de vida das abelhas e a produção de mel. Desde que começou a produzir mel, viu a sua vida mudar para melhor. Construiu uma nova casa e hoje tem uma moto para facilitar o acesso ao município de Ourém, onde participa das atividades da associação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 3 =