Participantes da 3ª Conferência de Economia Solidária do Amazonas apoiam PNPS

10489778_794935607204813_135562452679425295_n

III CONFERENCIA ESTADUAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA


AMAZONAS, CONSTRUINDO UM PLANO ESTADUAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA PARA PROMOVER O DIREITO DE PRODUZIR E VIVER DE FORMA ASSOCIATIVA E SUSTENTÁVEL.


Apoio ao DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014,

Que institui a Política Nacional de Participação Social – PNPS e o Sistema Nacional de Participação Social – SNPS.

 

Manaus, AM, 03 de Julho de 2014.

 

 

A democratização das estruturas políticas e espaços públicos tem sido ao longo dos tempos a utopia, o sonho e, por consequência, a luta implementada pelos movimentos sociais e grupos populares. É neste contexto que emerge a organicidade da Economia Solidária viabilizando a democratização dos meios e o acesso aos bens e serviços para uma população que sempre esteve à margem da economia capitalista, implantada no nosso ideário político por décadas.

A necessidade vivida pelas camadas pobres, trabalhadores e trabalhadoras, bases da pirâmide econômica deste País,que fez com que povos e movimentos se organizassem e se movimentassem na garantia de direitos fundamentais. Cresceu assim, no âmbito dos movimentos sociais e populares, as lutas pela garantia de espaços democráticos como via política emancipatória da população. Resultante deste processo proliferou as praticas participativas nos espaços públicos, o que por via de regra, exigiu a redefinição das relações com o Estado e a sociedade civil. A cidadania foi o instrumento pluridimensional nesta conquista histórica, uma cidadania ativa que não esqueceu o seu papel político.

Segundo Pedro Pontual, “as praticas de participação cidadã têm dado uma significativa contribuição na constituição de novas esferas publicas democráticas e na promoção de um processo progressivo de publicização do Estado e de desestatização da sociedade. Tal pratica desenvolvida, sobretudo no âmbito dos espaços de poder local, buscam “a superação de uma nova visão da relação, Estado e Sociedade Civil como polaridade absolutas em favor de uma compreensão mais dinâmica de relações de interdependência combinadas com o reconhecimento da especificidade e autonomia de cada ator.” É desta forma que a economia solidária tem pautado seus sonhos e suas lutas considerando, sobretudo a cooperação, a solidariedade, a viabilidade econômica e a autogestão.

Por outro lado, as conjunturas politicas são sempre um “processo em ebulição e uma efervescência global numa disputa constante.” E é nesse contexto que precisamos avançar, rompendo com velhos e arcaicos paradigmas políticos introduzidos na nossa formação de sujeito e sujeita. Ainda reina o individualismo, as praticas senhorial e o coronelismo na pratica politica brasileira. O congresso é exemplo destas mazelas, pois quando os tratados, decretos e as leis vêm favorecendo a sociedade logo emerge as armaduras e as retóricas defensivas que estamos acostumados a ver no parlamento.

Assim está ocorrendo com o DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014, que institui a Política Nacional de Participação Social – PNPS e o Sistema Nacional de Participação Social – SNPS, instrumento legal que objetiva fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de diálogo e a atuação conjunta entre a administração pública federal e a sociedade civil.

Desta forma, nos participantes da 3ª Conferencia Estadual de Economia Solidária-Amazonas, Construindo as Propostas para Elaboração do Plano Estadual de Economia Solidária do Amazonas Para Promover o Direito de Produzir e Viver de Forma Associativa e Sustentável; estamos irmanados na defesa da manutenção deste decreto. Apoiamos está causa por acreditar na importância da sociedade na formulação, execução, monitoramento e avaliação de programas e políticas públicas para o aprimoramento da gestão pública. Visando, sobretudo o rompimento com as praticas de gestão onde os donos do poder gestam os bens públicos como objetos particulares.

Atenciosamente,

Os movimentos de Economia Solidária do estado do Amazonas

 

  1. Rede de Educação Cidadã do Amazonas
  2. Secretaria de Estado do Trabalho
  3. Caritas Arquidiocesana de Manaus
  4. Movimento Nacional de Catadores e Catadoras
  5. Consulado da Mulher
  6. Ministério Desenvolvimento Agrário – Amazonas
  7. Ministério do Trabalho e Emprego – Amazonas
  8. Instituto de Desenvolvimento do Amazonas – IDAM
  9. Unisol do Amazonas
  10. RECOED
  11. Cooperativa de Transporte SOLINEGRO
  12. Cooperativa de Transporte de Barreirinha
  13. Associação de Mulheres Sabores do Tarumã.
  14. Delícias do Tarumã.
  15. Associação Valores da Terra
  16. AEESC- Associação de Empreendimentos de Economia Solidaria do Cajual
  17. Colônia de Pescadores do Município de Parintins
  18. Associação Manacapuruense de Artesãs
  19. Fórum Municipal de Economia Solidaria Manaus
  20. Fórum Estadual de Economia Solidaria
  21. Visão Mundial
  22. Bia Arte Manaus
  23. Lá e Lê Artesanato
  24. Associação das Donas de Casa do Estado do Amazonas
  25. COAGRITTUR
  26. COOPARSPA
  27. UNICAFES AM
  28. AABA
  29. ABA
  30. SEMAPS
  31. MGMP AM
  32. Rede Tapiri
  33. Coomersol
  34. Arte Aranjo Decorativo.

Um comentário em “Participantes da 3ª Conferência de Economia Solidária do Amazonas apoiam PNPS

  1. parabéns a equipe recidiana, cada vez mais se comunicando via outras mídias e se fazendo presente entre aqueles e aquelas que lutam e fazem acontecer seus direitos enquanto cidadãos. Inté das gerais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 4 =