A Festa das Cisternas em Pintadas

Quem acha impossível construir uma cisterna para cada família no
semi-árido é porque nunca ouviu falar de Pintadas. Talvez não mesmo. Uma
pequena cidade, de onze mil habitantes, encravada no coração da Bahia,
próxima à BR que liga Salvador a Brasília.

Mas é uma cidade especial. Terceiro mandato consecutivo do PT.
Aquele velho, dos tempos dos sonhos, baseado na luta popular. Quando Neuza
Cadore, uma agente pastoral vinda do sul, ganhou pela primeira vez a eleição
local, ACM eliminou todos os serviços públicos estaduais existentes na
cidade. Nem banco ficou. Perseguição pura e simples.

Então resistiram. Criaram seu próprio banco – cooperativa de crédito -, fizeram parceria com
outros bancos, recriaram os serviços públicos a seu modo e hoje a cidade tem
todos os serviços cortados pelo governo estadual. Resultado, é o terceiro
mandato consecutivo no quintal de ACM.

Desde o início, já baseada nas comunidades eclesiais de base,
começaram a construção de cisternas no meio rural. Hoje é o primeiro
município do semi-árido brasileiro a construir uma cisterna para cada
família. Agora também já começou a construção no meio urbano, onde a água do
açude que abastece a cidade é salobra. Por isso, nesse final de semana, há
uma "festival das águas" em Pintadas.

O que faz Pintadas diferente dos demais é que ali está a mão do
poder público, que decidiu investir no que o povo necessita. Abastecer
famílias com água potável é uma das metas do milênio.

No Brasil é perfeitamente factível. Nessa empreitada estiveram as comunidades, a Igreja,
a solidariedade nacional e internacional, mas também o poder público
municipal. Caso absolutamente ímpar nesse sertão onde as prefeituras são a
extensão da propriedade particular dos prefeitos. Nenhuma outra prefeitura
petista também se interessou em fazer cisternas para resolver a sede do povo
no semi-árido. Nos últimos tempos o MDS financiou um lote de cisternas em
Pintadas.

Agora, se quiser, a prefeitura já pode investir na água para
produção. Assim, realmente buscar a segurança hídrica e alimentar de seu
povo, com seus recursos, com seus esforços, com todo seu mérito.
Como muita gente, como muitas entidades – CÁRITAS, ASA, SASOP,
IRPAA, CPT, etc – também vou ao "Festival das Águas" de Pintadas, para
cantar em festa pública com o povo. Pintadas merece e nós merecemos junto.

Por Roberto Malvezzi (Gogó)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*